22 de setembro de 2016

"Me Chame Apenas de Jesus” - Max Lucado

Max Lucado
__Muitos dos nomes na Bíblia que se referem ao Senhor são imponentes e augustos: Filho de Deus, Cordeiro de Deus, Luz do Mundo, A Ressurreição e a Vida, Estrela da Manhã, Aquele que Devia Vir, Alfa e Omega.

Essas são frases que esticam os limites da linguagem humana num esforço para capturar o que é incapturável, a grandeza de Deus. E por mais que tentem elas nunca satisfazem. Ouvi-las é quase que ouvir uma banda do Exército de Salvação tocar na esquina o "Messias" de Handel por ocasião do Natal. Uma boa tentativa, mas não funciona. A mensagem é majestosa demais para o meio de comunicação.


O mesmo acontece com a linguagem. A frase "Não há palavras para expressar..." é a única que pode ser honestamente aplicada a Deus. Nenhum nome lhe faz justiça.

Mas existe um nome que recorda uma qualidade do Mestre que confundiu e compeliu aqueles que o conheceram. Ele revela um lado dele que, quando reconhecido, é suficiente para fazer com que você se prostre.

Ele não é pequeno nem grande demais. E um nome que se ajusta como o sapato se ajustou ao pé de Cinderela.


Jesus.


Nos evangelhos é o seu nome mais comum — usado quase 600 vezes. E era mesmo um nome comum. Jesus é a forma grega de Josué, Jesua e Jeosua — todos nomes familiares no Velho Testamento. Houve pelo menos cinco sumo sacerdotes conhecidos como Jesus. Os escritos do historiador Josefo se referem a cerca de vinte pessoas chamadas Jesus. O Novo Testamento fala de Jesus, o Justo[1], amigo de Paulo, e o feiticeiro de Pafos é chamado Bar-Jesus[2]. Alguns manuscritos dão Jesus como o primeiro nome de Barrabás. "A quem quereis que eu vos solte, a Jesus Barrabás ou a Jesus, chamado Cristo?"[3]

Qual é o ponto? Se Jesus viesse hoje, o seu nome poderia ser João, Beto ou Carlos. Se ele estivesse aqui hoje, é duvidoso que se distanciasse com um nome elevado como Reverendo Santo Divindade Angelical III. Não, quando Deus escolheu o nome que seu filho teria, ele escolheu um nome humano.[4]Preferiu um nome tão típico que aparecesse duas ou três vezes em qualquer chamada de escola.


"O Verbo se fez carne", disse João, em outras palavras.


Ele era palpável, acessível, alcançável. E, mais ainda, ele era comum. Se estivesse aqui hoje você provavelmente não o notaria quando estivesse em meio a uma multidão fazendo compras. Ele não faria as cabeças se voltarem por causa das roupas que usava ou pelas jóias com que se adornava.


"Me chame apenas de Jesus", quase se podia ouvi-lo dizer.


Ele era o tipo de pessoa que você convidaria para assistir um jogo de futebol em sua casa. Ele brincaria no chão com seus filhos, cochilaria no seu sofá, e faria churrascos em sua grelha. Ele riria das suas piadas e contaria algumas das dele. E quando você falasse, ele ouviria como se tivesse todo o tempo da eternidade.

Uma coisa é certa, você o convidaria de novo.

Vale a pena notar que os que o conheciam melhor se lembravam dele como Jesus. Os títulos, Jesus Cristo e Senhor Jesus só aparecem seis vezes. Os que andaram com ele, não se lembravam dele com um título ou designação, mas com um nome — Jesus.

Pense nas implicações. Quando Deus decidiu revelar-se à humanidade, qual o meio que usou? Um livro? Não, isso foi secundário. Uma igreja? Não. Isso foi uma conseqüência. Um código moral? Não. Limitar a revelação de Deus a uma lista fria de "faça" e "não faça" é tão trágico como olhar para um mapa rodoviário e dizer que você viu as montanhas.

Quando Deus decidiu revelar-se, ele fez isso (surpresa das surpresas) através de um corpo humano. A língua que ressuscitou os mortos era humana. A mão que tocou o leproso tinha sujeira debaixo das unhas. Os pés sobre os quais a mulher chorou eram calosos e empoeirados. E suas lágrimas... oh, não se esqueça das lágrimas... elas vieram de um coração tão quebrantado como o seu ou o meu jamais o foram.


"Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas"[5] (Heb 4:15)


As pessoas se aproximavam então dele. Puxa, como o procuravam! Elas surgiam à noite; tocavam nele quando caminhava pelas ruas; seguiam-no até o mar; convidavam-no para suas casas e colocavam seus filhos aos pés dele. Por quê? Porque ele se recusou a tornar-se uma estátua numa catedral ou um sacerdote num púlpito elevado. Ele escolheu em vez disso ser Jesus.

Não há sequer uma sugestão de alguém que temesse aproximar-se dele. Havia alguns que o ridicularizavam. Havia outros que o invejavam. Outros ainda que não o compreendiam. E outros que o reverenciavam. Mas não havia ninguém que o considerasse santo demais, divino demais, ou celestial demais para ser tocado. Não houve uma pessoa sequer que relutasse aproximar-se dele com medo de ser rejeitada.


Lembre-se disso.


Lembre-se disso da próxima vez que ficar surpreso com suas próprias falhas.

Ou da próxima vez em que acusações ácidas fizerem buracos em sua alma.

Ou da próxima vez em que olhar para uma catedral fria ou ouvir uma liturgia sem vida.

Lembre-se. É o homem que cria a distância. É Jesus quem constrói a ponte.


"Me chame apenas Jesus."



[1] Colossenses 4.11
[2] Atos 13.6
[3]Mateus 27.17 William Barclay, Jesus As They Saw Him (Grand Rapids, Mich: Wm. B. Eerdmans).
[4] Mateus 1.21
[5] Heb 4:15


Mensagem de Max Lucado

10 de setembro de 2016

Deus é sempre fiel



Por Simone Oliveira de Pedro 

“Fiel é o que vos chama” – 1 Tessalonicenses 5.24 a.

Deus sempre é fiel. Assim sendo, evite ficar amargurado quando acontecer algo que você não gostar ou não entender.

Logicamente, qualquer pessoa em sã consciência não gosta de passar por decepções, perdas, dificuldades. Porém, as contrariedades são partes da vida.

O fato de a grama parecer morta não significa que ela nunca ficará verde outra vez.

É uma situação compreensível estar triste, entretanto, ser alguém sempre triste não é. Não permita que um período de sofrimento se torne uma vida de sofrimento.

Neste exato momento, você não respira, a respiração acontece independente da sua vontade; você não faz seu coração bater, mas mesmo assim ele continua batendo. Você não planejou nascer, porém está vivendo. A verdade é que sua existência faz parte do propósito do Criador.

Deus sopra uma nova esperança dentro do seu espírito, abre nova oportunidade de buscar satisfação para viver. Daqui para frente, não se arraste, não permita que os sentimentos de derrota e depressão sufoquem seu coração, pois o choro pode durar uma noite inteira mas a alegria chega ao amanhecer (Salmos 30.5).

Lembre-se da fidelidade divina e anime-se, pois os propósitos do Senhor para nós sempre serão maiores que as circunstâncias. O Deus que sustenta o universo é o mesmo que sustenta a minha e a sua vida. Leia as Escrituras Sagradas para ter a capacidade de usar com maior firmeza a sua fé e compreender que a vitória sempre estará ao seu alcance.

Fonte: https://www.facebook.com/simone.pedrobb | Publicação original de 09 de setembro de 2016. Conteúdo adaptado ao blog, com inserções de parágrafo e mudanças de alguns vocábulos. 

3 de julho de 2016

Crises, desemprego e a fé: Indo do pranto à alegria

Deus pode trazer crescimento
   a partir dos nossos momentos
   de sofrimento.
Leitura: Isaías 61:1-4 
…enviou-me […] a pôr sobre os que em Sião 
estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo 
de alegria, em vez de pranto… vv.1,3


“Estamos cortando a sua função.” Uma década atrás, essas palavras me fizeram cambalear quando a empresa onde eu trabalhava me demitiu. Na época, me senti arruinada, em parte porque a minha identidade estava entrelaçada ao meu papel como editora. Senti, recentemente, uma tristeza parecida ao saber que meu trabalho temporário tinha terminado. Mas desta vez não me senti abalada, pois com os anos, vi a fidelidade de Deus e como Ele pode transformar meu pranto em alegria.

Apesar de vivermos num mundo decaído onde enfrentamos dor e decepções, Deus pode nos levar do desespero ao louvor, como vemos na profecia de Isaías sobre a vinda de Jesus (Isaías 61:1-3). Ele nos dá esperança quando não a temos; nos ajuda a perdoar quando pensamos não poder; ensina que nossa identidade está nele e não no que fazemos. Ele nos dá coragem para enfrentar o futuro incerto. Ao vestirmos os trapos de “cinzas”, nos dá vestes de louvor.

Ao enfrentarmos perdas, não devemos fugir da tristeza, mas também não queremos nos tornar amargos ou inflexíveis. Ao pensarmos sobre a fidelidade de Deus, sabemos que Ele está disposto e pode transformar o luto em alegria novamente — nos dar graça suficiente nesta vida e plena alegria no céu. 

— AMP
Fonte: Pão Diário

2 de junho de 2016

Você Pergunta, Deus Responde


Aqui estão algumas perguntas que você talvez esteja se fazendo ou já se fez em algum momento. Todas foram respondidas com base na Bíblia, a Palavra de Deus.
Lembre que a Bíblia é um compêndio de 66 livros e cartas, que foram escritos por homens inspirados por Deus. Por essa razão, quando damos uma resposta baseada na Bíblia, temos a certeza de que é Deus falando e não nós.

Há vida depois da morte?

Com certeza! É o que lemos na Carta aos Hebreus 9.27: “...aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo”.

É importante crer no Deus da Bíblia?

O seu futuro depende disso. A Bíblia diz: “...quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus” (Evangelho de João 3.36).
Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, por não crer no nome do Filho Unigênito de Deus” (Evangelho de João 3.18 – NVI).

Há tantas religiões diferentes. Qual é a verdadeira?

A “religião”, como tal, não salva a ninguém. Existe um só caminho para a salvação. Jesus disse: “...Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai [Deus], a não ser por mim” (Evangelho de João 14.6).
...Jesus Cristo, o Nazareno, a quem vós crucificastes, e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, ...não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (Livro de Atos 4.10 e 12).
Você não deve se preocupar sobre qual religião é a certa, mas em ter uma relação correta com Deus. Quando nossa fé está baseada no fundamento correto – em Jesus Cristo – o restante virá por si. Temos a promessa de que Ele nos guiará através da Sua Palavra.

Na verdade, eu sou uma boa pessoa, não faço mal a ninguém e vivo honestamente.

Não há absolutamente nada que você possa fazer para conseguir um lugar junto ao Senhor, na Eternidade. Há somente um caminho para chegar até lá.
Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie” (Carta aos Efésios 2.8-9).
Sabemos que Deus aceita somente aqueles que confiam em Jesus Cristo e que ninguém é salvo por obedecer à Lei (ou pelas obras que possamos fazer). “...sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei, e sim mediante a fé em Cristo Jesus...” (Carta aos Gálatas 2.16).

Eu, no entanto, tenho muito tempo para tomar esta decisão

No Evangelho de Lucas, Jesus conta a história de um homem muito rico, cujas terras haviam produzido uma grande colheita. Então, ele disse: “...Já sei o que vou fazer. Vou derrubar os meus celeiros e construir outros maiores, e ali guardarei toda a minha safra e todos os meus bens. E direi a mim mesmo: Você tem grande quantidade de bens, armazenados para muitos anos. Descanse, coma, beba e alegre-se. Contudo, Deus lhe disse: ‘Insensato! Esta mesma noite a sua vida lhe será exigida. Então, quem ficará com o que você preparou?’” (Evangelho de Lucas 12.18-21 – NVI). Ninguém nesta terra tem o seu “amanhã” assegurado e estou convencido de que você sabe disso.

Diante desse quadro, o que você fará?

Há somente duas opções: aceitar essa mensagem ou rejeitá-la de algum modo, quer seja ignorando, não crendo ou maldizendo. No entanto, você NÃO pode permanecer imparcial.
Deus diz: “Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e os de sua casa” (Livro de Atos 16.31 – NVI).


21 de abril de 2016

COMO TEMOS USADO NOSSAS MÃOS?


Enoque Caió


"Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar Santo ?
Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, 
nem jura enganosamente".
  
  
Salmos 24:3,4


Como temos usado nossas mãos?
Lembro-me dos SALMOS 24, quem subirá ao Santo Monte do Senhor?
Em tudo, tudo mesmo, tem a presença das nossas mãos:

Para pegar o alimento;
Para cumprimentar nosso próximo e fechar acordos;
Para contar o dinheiro que pagamos;
Para contar o dinheiro que recebemos;
Para projetar cousas boas ou ruins;
Para escrever nossa história;
Para acessar a internet;
Para fazer uma ligação de negócios ou de traição;
Para escrever um bilhete amoroso;
Para pegar um objeto ou serviço que possa ser nosso ou não;
Para nos justificar como Pôncio Pilatos quando lavou suas mãos diante do julgamento de Cristo;
Para procedimentos cirúrgicos é necessário lavar as mãos e esta prática salvou diversas vidas de contaminação;
Para guiar um carro para um determinado lugar;
Para usar uma arma para defender o inocente ou para assaltar um trabalhador honesto;
Para puxar um gato de água, de luz, de internet afinal estas empresas são muito ricas que mal eu farei se roubar somente 0,0001% do seu produto?
Para colocar dinheiro na cueca;
Para bater no ombro do meu líder e de forma falsa ou nao poder dizer que estou sempre com ele;
Para abraçar o próximo e me colocar a sua disposição;
Para abrir ou fechar portas que nunca deveríamos ter aberto;
Para abrir porta onde estaremos testemunhando do nosso caráter e desejo de ser como CRISTO;
Para limpar ou para sujar;
Para dar um sinal de ok ou para mostrar um desejo obsceno;
Para transmitir a paz ou a guerra para outra pessoa;
Para abraçar ou para bater...

Este é nosso grande desafio, como usaremos as nossas mãos.......?


II Coríntios 8:21 "Pois zelamos o que é honesto, não só diante do Senhor, mas também diante dos homens." 

"Ocupai-vos com tudo o que é verdadeiro, nobre, justo, puro, amável, tudo o que há de louvável, honroso, virtuoso ou de qualquer modo mereça louvor" (Filipenses 4,8). 

O mapa de instrução, a Palavra de Deus, tem as recomendações necessárias, basta querermos seguir ou não, a decisão está em nossas mãos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...